Hierarquia no Controle de Riscos

Neste DDS vamos apresentar a hierarquia no controle de riscos. Esse assunto é importante porque controlar a exposição é um método fundamental na proteção dos trabalhadores. Tradicionalmente, a hierarquia de controle é usada para determinar o que deve ser implementado e soluções efetivas no controle de riscos. O “National Institute for Occupational Safety and Health” […]

Neste DDS vamos apresentar a hierarquia no controle de riscos.

Esse assunto é importante porque controlar a exposição é um método fundamental na proteção dos trabalhadores.

Tradicionalmente, a hierarquia de controle é usada para determinar o que deve ser implementado e soluções efetivas no controle de riscos.

O “National Institute for Occupational Safety and Health” (NIOSH) representa da seguinte forma a hierarquia de controle:

AL8eN0UscVkzOytR8iC7R7oNjLBReBuQ4yk7pYjvSClpbHJ3 AoNtsntKwGSWlremq9GgMwvRgQlEzChSCbzjf3PTSLiU5HEjzyD9HNV MzLrL0jLVyVGU cXON6Q78PtU vyRoh

A ideia por trás dessa hierarquia é que os métodos no topo de gráfico são mais efetivos na proteção que os da base.

Então, em linhas gerais, sabemos que maneiras de controlar riscos são inúmeras, mas precisamos enumerar aquelas que são mais importantes que outras e aplicar de acordo com a escala.

No topo da pirâmide invertida, temos a Eliminação e logo em seguida a substituição.

A eliminação do risco é a melhor das situações, quem não gostaria de se livrar de um risco permanentemente?

A eliminação e a substituição, embora sejam eficazes na redução de riscos, também são as mais difíceis de implementar em um processo existente.

Já se a mesma estiver em seu estágio inicial, ou seja, um processo ainda na fase de planejamento, então a eliminação ou substituição podem ser simples e de baixo custo para implementar.

Os Controles de Engenharia são favorecidos em relação aos EPIs para controlar a exposição dos trabalhadores no local de trabalho.

Isso porque eles se concentram em remover o risco nas fontes antes que o trabalhador entre em contato com o risco.

Esses controles, por terem a chance de serem permanentes, são bastante importantes.

Assim, se forem bem projetados podem ser altamente eficazes na proteção e normalmente são independentes das interações do trabalhador.

Vamos falar agora sobre os controles administrativos.

Estes envolvem pessoas, pois envolvem melhorias dos procedimentos, regras de conduta e capacitação dos profissionais.

Lembrando que nenhum risco deve depender apenas das ações do colaborador.

Por fim os famosos EPIs, equipamentos de proteção individual.

Depois que se esgotam as medidas anteriores, ou seja, aquelas superiores na hierarquia, agora é a hora de pensar nos EPIs.

Tanto o controle administrativo, quanto os EPIs, são métodos que para proteger os trabalhadores também se mostraram menos eficazes do que outras medidas, exigindo um esforço significativo dos trabalhadores afetados para terem bons efeitos.

Esperamos ter contribuído com mais essa gama de informação!

Desejamos que vocês procurem sempre proteger seu bem maior: suas vidas!

Até a próxima.

Fonte:

https://www.cdc.gov/niosh/topics/hierarchy/




Fundado em novembro de 2008, o DDS Online contribui para a área de Segurança e Saúde Ocupacional através da divulgação de temas para DDS e cursos online.

Nos siga

© 2022 Escola da Prevenção - Herbert B Faria Treinamentos CNPJ 18.768.540/0001-85 Todos os direitos reservados.