Caldeiras e vasos de pressão são equipamentos usados em grandes indústrias para várias finalidades.

A principal função das caldeiras é produzir vapor de água para ser usado em processos industriais.

Os vasos de pressão são reservatórios usados para armazenar fluidos ou gases em alta pressão.

Ambos equipamentos precisam resistir as altas pressões que existem no seu interior.

Portanto, é imprescindível uma série de cuidados preventivos, para que nenhum acidente aconteça.

Quando ocorre o rompimento de parte desses equipamentos, de tal forma que a energia em seu interior é liberada, os resultados costumam ser fatais para os profissionais que estão próximos.

Para operar esse equipamento é necessário um profissional habilitado que tenha competência legal para tal.

Os profissionais envolvidos na operação de caldeiras devem passar por treinamento especializado.

Operadores de caldeira, operadores de utilidades, mecânicos de manutenção, técnicos de segurança e engenheiros de segurança são exemplos de profissionais que devem ser treinados.

O conteúdo do treinamento é detalhado na Norma Regulamentadora 13 ( NR 13 ).

Para dimensionar e manter caldeiras e vasos de pressão, é necessário a devida qualificação técnica em todas as etapas incluindo

  • projeto de construção,
  • acompanhamento de operação e manutenção,
  • inspeção.

Por se tratar de um equipamento com alta capacidade de gerar calor, o mesmo possui um limite de tolerância para desempenho chamado pressão máxima de trabalho permitida ou admissível, que é o maior valor de pressão compatível com o código de projeto, a resistência dos materiais utilizados, as dimensões do equipamento e seus parâmetros operacionais.

As caldeiras e vasos sob pressão oferecem alto risco ambiental, para tanto devem seguir os parâmetros de alguns itens de segurança e deve ter afixadas em seu corpo, em local de fácil acesso e bem visível, placa de identificação com algumas informações relevantes.

Administrativamente as caldeiras também devem possuir no estabelecimento onde estiver instalada uma documentação atualizada e de fácil consulta. Quando inexistente ou extraviada a documentação deve ser reconstituída pelo proprietário, com responsabilidade técnica do fabricante ou de profissional habilitado com as características funcionais, dos dados dos dispositivos de segurança e procedimentos.

Esses documentos devem acompanhar o equipamento caso seja vendido ou transferido de estabelecimento. Tem que ser apresentado pelo proprietário da caldeira quando for exigido pela autoridade competente.

O registro de segurança que for desenvolvido para cada caldeira deverá possuir livro próprio, com páginas numeradas ou algum outro sistema equivalente que sejam registrados toda linha do tempo da mesma. Se for considerada inadequada para o uso, o livro de registro de segurança deverá receber essa informação e encerramento formal.

Essa documentação deverá estar disponível para consulta sempre que necessário para os operadores, equipe de manutenção, de inspeção e para a CIPA (comissão interna de prevenção de acidentes). As caldeiras são classificadas em três categorias sendo A, B e C de acordo com sua capacidade de pressão de operação.

Para o funcionamento de uma caldeira é necessário em primeiro lugar, um projeto de instalação que é de responsabilidade do profissional habilitado e deve obedecer aos aspectos de segurança, saúde e meio ambiente. Deve ser instalada em local específico e apropriado, denominado Casa de Caldeiras ou Área de Caldeiras.

Quando instalada em ambiente interno ou externo a mesma deverá seguir diversos requisitos técnicos específicos. Caso não seja possível atender todos os requisitos o estabelecimento deverá elaborar um Projeto Alternativo de Instalação com medidas complementares de segurança que permitam a atenuação dos riscos.

Para um bom funcionamento das caldeiras faz-se necessário à adoção de algumas medidas de controle, tais como:

  • possuir manual de operação atualizado em língua portuguesa,
  • calibração de seus instrumentos conforme cronograma,
  • controle e tratamento da qualidade da água,
  • operador de caldeira devidamente treinado e qualificado,
  • receber treinamento de segurança na operação de caldeiras,
  • e demais procedimentos que forem especificados pela equipe de projeto.

Leia também: Prevenção Auditiva – Ouça a diferença

VÍDEO BÔNUS – CALDEIRA MATA NO PARANÁ

Dê um play no vídeo abaixo e confira:


Herbert Bento
Herbert Bento

DDS Online é referência quando se trata de diálogos de segurança do trabalho. Sua missão é compartilhar as boas práticas de segurança para que os brasileiros não percam a saúde devido ao trabalho! Quer receber puro "Conteúdo SST"? Entre no Grupo Silenciado Conteúdo SST onde só eu posto puro conteúdo SST de segunda a sexta.