Trânsito

Últimos posts em Trânsito

Dirigir ao celular aumenta o risco de acidente em 3 vezes

02/02/2020 | Herbert Bento

Volante e celular é uma união perigosa e fácil de observar em qualquer lugar do Brasil. Difícil é fazer o motorista confessar a infração e assumir o risco.

DESCULPA DOS MOTORISTAS:

– Estou desligando o celular porque está acabando a bateria.

– Estou vendo se tem recado;

– Eu vejo sempre, identifico a chamada, aí se for caso importante eu atendo.

Quem é pego falando ao celular tenta se explicar: “É o farol que está fechado, aproveitei pra usar só um pouquinho só. Vou comprar um fone aí porque é muito perigoso.”

Os riscos de falar ao celular no trânsito foram objeto de um estudo da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego, da USP e do Hospital das Clínicas.

Hoje em dia é o fator primordial de distração. Principalmente se tiver utilizando as mãos para discar e falar. Ele se envolve de tal forma com o celular que acaba esquecendo que está dirigindo, é o que algumas pessoas pensam.

RESULTADO: EFEITOS DO VÍCIO?

■ Mais nocivo ainda é que o risco de acidente aumenta três vezes quando motorista está falando ao celular.

■ Além de aumentar o tempo do percurso, a falta de atenção por causa do celular retarda a reação do motorista.

■ O número de infrações dobra e a chance de se envolver em acidente triplica. “A conversa em si, o fato de o indivíduo estar prestando atenção em alguma coisa que não está relacionada à direção é que faz com que esse tempo de reação aumente”.

■ Interessante que os médicos comparam o uso do celular ao efeito do álcool. “É como se a pessoa tivesse bebido dois copos de cerveja ou uma dose de destilado. É como se estivesse dirigindo ligeiramente embriagado”, é o que alguns dizem. Ele começa a andar de lado, como se estivesse bêbado.

Então,depois de ler esse DDS sobre o riscos que você corre, vale a pena insistir ainda nesse mal hábito e pôr sua vida em RISCO?

Como dar a ré no carro com Segurança

28/01/2020 | Herbert Bento

Dedicamos o diálogo de hoje para falar sobre uma determinada manobra da direção que é muito importante – a marcha à ré.

Talvez vocês estejam se perguntando por que vamos dedicar um tempo tão valioso para falar de algo aparentemente tão fácil e simples que é a marcha à ré. Se analisarmos devidamente a forma em que realizamos esta manobra, daremos conta que em muitas oportunidades não a fazemos devidamente e que cometemos muitos erros que podem provocar resultados indesejáveis como são os acidentes.

{Leia também: Como dirigir com segurança nas estradas}

Muitos de nós sabemos dirigir e efetuamos esta manobra sem pensar muito nela, mas isto não implica necessariamente que a realizamos adequadamente do ponto de vista da direção defensiva e da prevenção de acidentes.

Devemos evitar a manobra de marcha à ré sempre que for possível já que é uma marcha perigosa e pode se tornar em algumas ocasiões ainda mais difíceis e complicadas. Ao realizar a marcha à ré devemos sempre levar em consideração o tamanho do veículo que conduzimos o tráfego que existe na área, tanto de veículos como de veículos industriais, pessoas e outros obstáculos típicos do dia-a-dia. Existem casos que não temos alternativa, a não ser realizar manobra em ré.

Para estes casos devemos estar preparados, o que significa que devemos conhecer algumas dicas que existem para realizar esta manobra adequadamente:

1º – Observar o panorama: Primeiramente antes de começar a dar a ré, devemos observar muito bem o panorama, ou seja, o meio em que nos encontramos. Não devemos limitar a olhar pelo espelho retrovisor ou pela janela, devemos até sair e caminhar ao redor do veículo caso seja necessário, para comprovar que não há objetos, obstáculos, pessoas ou crianças abaixadas ao redor do veículo por exemplo.

2º – Olhar para trás por cima do ombro: Uma vez dentro do veículo devemos olhar para trás, sobre os ombros para certificarmos de que não haja nenhum perigo e desta forma podemos observar a direção em que nos movemos e manter o controle da situação.

3º – Recuar lentamente: Enquanto recuamos devemos ir lentamente porque o veículo se comporta diferentemente quando se move para trás e podemos perder o controle do veículo. Se recuarmos rapidamente podemos correr o risco de cometer erros graves ao calcular a distância.

4º – Vigiar ambos os lados: À medida que recuamos, devemos vigiar ambos os lados e não depender dos espelhos retrovisores para calcular a distância. Às vezes é necessário que olhemos através das janelas, atrás e na frente.

5º – Verificando a marcha ao ligar o veículo: Quando for sair com o carro não se esqueça de verificar em qual marcha você deixou engatado. Pois, alguns motoristas se esquecem de desengatar a marcha à ré e aceleram pensando que o carro está engatado na primeira marcha e aí podem correr o risco de bater no carro estacionado atrás ou em algum obstáculo. Sempre verifique em qual marcha você deixou o carro engatado.

6º – Utilizar um guia confiável quando seja necessário: Mesmo tomando todas as medidas acima você ainda não se sentir confortável em realizar a manobra de marcha à ré, solicite a ajuda de outra pessoa que servirá como seu guia do lado de fora do veículo. Esta pessoa deverá se posicionar em um local seguro para lhe orientar.

Não pense que para ser um bom motorista você precisa dirigir com perfeição, o mais importante é que você realize cada viagem sem acidentes, sem infrações de trânsito, sem abusos na velocidade máxima permitida, sem atrasos de horários e sem faltar com a cortesia devida.

Dirija de modo a evitar acidentes apesar das ações incorretas dos outros e das condições adversas. Pense no que vai acontecer, ou no que poderá acontecer, com maior antecedência possível. Não se convença de que “VAI DAR TUDO CERTO”. Aja a tempo, seja cauteloso e espere a sua vez.

Uma vez que conhecer o perigo saberá que defesa deverá empregar. Jamais assuma uma atitude de “esperar” para ver o que acontece.

Pare! Olhe! Escute! Salve uma vida!

19/01/2020 | Herbert Bento

Hoje em dia é bem comum que as ferrovias estejam cortando as cidades.

Isso aconteceu porque as cidades cresciam ao redor dos trilhos.

Afinal, o trem era o meio mais comum de transporte a alguns anos atrás.

Era através da ferrovia que as populações recebiam tudo aquilo que necessitavam para viver como alimentos e outros utensílios.

Nos dias de hoje essa convivência tem gerado muitos acidentes nos centros urbanos.

Por isso, as empresas que operam os trens realizam campanhas para conscientizar a população sobre os cuidados básicos para evitar acidentes.

O que todos nós queremos é uma convivência mais tranquila entre a população e a ferrovia.

Como sabemos o trem não sai da linha, certo?

Ele já tem o seu traçado definido pelos trilhos e sua velocidade é regulamentada.

DDS sobre ferrovias

A Agência Nacional de Transportes Terrestres define, para cada trecho, uma velocidade máxima.

Essa velocidade é definida através de estudos aprofundados sobre o impacto gerado no trânsito e na população em geral.

Então, cabe a nós pedestres e motoristas fazermos nossa parte.

Vocês sabem como se chama o cruzamento da linha do trem com as ruas e estradas?

Chama-se “passagem de nível”.

Vamos então aprender 11 dicas para evitar acidentes nas passagens de nível:

  1. Pare, olhe e escute. Com essa dica simples poderíamos evitar muitos acidentes;
  2. Só atravesse a linha de trem (ferrovia) em locais permitidos;
  3. Utilize as passarelas sempre que possível;
  4. Ao se aproximar da ferrovia evite utilizar os fones de ouvidos, eles podem impedir que você escute o trem se aproximando;
  5. Não corra para atravessar a linha férrea, muitos acidentes ocorrem porque as pessoas acham que vai dar tempo de passar correndo na frente do trem;
  6. Segure firme as crianças ao se aproximar da ferrovia;
  7. Não pare veículo sobre o trilho, só atravesse após ter certeza que do outro lado, o caminho está desimpedido;
  8. Em hipótese alguma atravesse se as cancelas já estiverem abaixadas;
  9. Caso necessite esperar a passagem do trem, mantenha distância segura da composição;
  10. Só atravesse se tiver certeza que não existe possibilidade de acidente, a pressa em atravessar a linha férrea pode tirar sua vida!
  11. Lembre se, um trem pode precisar em média de 300 a 900 metros para conseguir parar totalmente após acionar os freios de emergência.

Autor:

Thiago Galeno. 

Como dirigir com segurança nas estradas

19/01/2020 | Herbert Bento
Como dirigir com segurança nas estradas

Os deslocamentos de grande parte do que produzimos e consumimos são realizados através das nossas rodovias.

A grande presença de veículos aliada as grandes distâncias percorridas aumentam em muito a probabilidade de acidentes nas estradas.

E, a gravidade destes acidentes é extremamente séria, devido a velocidade nestas vias e a dificuldade de um rápido socorro.

Com o intuito de tornar nossas viagens mais seguras devemos seguir as seguintes recomendações.

Antes de iniciar a viagem busque informações sobre a distância do trajeto, os pontos críticos das estradas, locais para refeição e repouso, postos de combustível, locais para manutenção do veículo, bases da polícia rodoviária, pedágios e etc.

Planeje todos os passos antes da realização da viagem.

Após saber por onde ir e como ir vamos voltar nossa atenção para o veículo que utilizaremos na viagem.

Confira a sua documentação, a do veículo, a dos passageiros e da carga (caso existam) e faça uma inspeção criteriosa dos itens básicos de segurança.

Devemos observar o estado do pneu (a calibragem do pneu é um item fundamental), dos freios, dos espelhos retrovisores, de todas as luzes (faróis, setas, pisca alerta, luzes de ré e luzes interna do salão), do limpador de pára-brisa, dos níveis de água e óleo, do estado de conservação do cinto de segurança, da suspensão e a existência dos itens exigidos pelo CONTRAN (Conselho Nacional de Trânsito) como extintor de incêndio, triângulo, macaco e estepe.

Caso algum item não esteja OK, repare o problema antes de começar a viagem.

Abasteça o veículo com quantidade de combustível suficiente para chegar ao próximo ponto de apoio do trajeto ou para o total do percurso em curtas distâncias.

Ainda não é a hora de começar a viagem!

Temos que garantir que o nosso corpo esteja preparado para a tarefa de dirigirmos por horas!

O ideal é que antes das viagens, os motoristas descasem por no mínimo oito horas.

Agora sim, preparamos o nosso roteiro de viagem e temos certeza que o veículo e seu condutor estão bem para a realização da tarefa.

É hora de ligarmos a chave e começarmos! Mas antes todos os ocupantes do veículo devem estar com o cinto de segurança!

Durante a viagem devemos seguir os limites de velocidade estabelecidos pela via e as orientações contidas nas placas de trânsito.

Ultrapassar somente nos locais permitidos, isso deve ser um compromisso para evitarmos colisões frontais!

Toda atividade repetitiva pode trazer uma perda de atenção e cansaço para quem a realiza.

Dirigir não é diferente. Ao menor sinal de cansaço e/ou perda da atenção, pare o veículo em local seguro e descanse.

Utilizar drogas ou arrebites (combinação de substâncias e produtos para se manter acordado) é algo irresponsável com a sua vida e com a vida de outros, pois quando o efeito deste passa, o sono e cansaço aparecem de forma acentuada e incontrolável, causando situações de perigo imediatamente após a manifestação dos mesmos e ceifando vidas de muitas pessoas nas estradas.

Durante a viagem mantenha o foco na estrada, nunca utilize telefones celulares, som com música alta ou veja vídeos no aparelho de DVD do veículo.

Deixe para os passageiros interagirem com os equipamentos eletrônicos.

Caso seja muito importante realizar e/ou atender ligações telefônicas, pare o carro em local seguro, acione o pisca alerta do veículo e somente assim faça o contato.

Observe com frequência os espelhos retrovisores, para perceber a aproximação de outros veículos durante todo o percurso.

Mudar de faixa é outra situação que exige cautela em rodovias, pois o trânsito tem uma velocidade maior.

Sinalize sempre qualquer alteração na direção do veículo e espere o momento ideal para a conversão.

Manter os espelhos retrovisores bem regulados vai auxiliá-lo em muito nesta hora.

Dirigir a noite tem um risco maior nas estradas, pois elas em sua grande maioria não possuem iluminação pública.

Manter o farol regulado é um passo para evitarmos surpresas.

O ideal é que a noite seja aproveitado para o descanso de quem dirigiu o dia inteiro.

Vamos preservar nossa vida!

Chegar atrasado em uma visita ou entregar uma carga após o programado é melhor que nunca cumprimos nosso objetivo pré-estabelecido!

Lembre-se que várias vidas e sonhos são destruídos nas estradas brasileiras e cabe a cada um de nós mudarmos este jogo, nossas famílias e amigos agradecem nossos esforços em mantermos um trânsito saudável nas estradas!

Direção defensiva sim! Direção ofensiva não!

08/12/2019 | Herbert Bento

O trânsito é formado por pessoas. Várias origens, culturas, formações, educação e nível social. Todas essas ações se cruzam todos os dias, o dia todo, em todas as partes da cidade.

Pessoas não são fáceis de lidar!

Nos dias atuais até morte ocorre por coisas discussões banais devido a situações que ocorrem no trânsito.

Um automóvel é uma arma e na mão da pessoa errada pode ser usado para causar sofrimento.

A direção deve vir acompanhada de uma boa educação no trânsito, formando um bom condutor que respeita o pedestre e a sinalização.

Vamos ver algumas dicas muito válidas para se construir um trânsito mais seguro, eficiente e viável.

• Procure não se distrair ao volante, pois qualquer descuido pode acometer um acidente

• Não use o celular enquanto dirige

• Não faça uso de bebidas alcoólicas quando for dirigir

• Respeite o meio ambiente, não lance nada pela janela, pode ocasionar um acidente e deixa a cidade suja

• Respeite o limite de velocidade da via

• Respeite o semáforo e a faixa de pedestre

• Faça manutenções preventivas e periódicas no veículo

• Verifique todo sistema elétrico

• Verifique os faróis, luzes de freio e setas

• Situação dos pneus

• Evite assistir televisão no GPS enquanto dirige

• Evite ouvir música em volume muito alto, pois além de distrair não permite ouvir o que acontece ao redor

• Seja cordial no trânsito, gentileza gera gentileza

• Cuidado nas ultrapassagens

• Conheça a sinalização

• Cuidado com motociclistas, ciclistas e coletores de recicláveis

• Se atente em situação de chuva, névoa, fumaça ou vento forte

• Se comunique no trânsito, as setas é um meio de comunicação eficaz

Procure conhecer a via que está transitando, conheça também caminhos alternativos, facilita em muito no momento de grande fluxo.

Outra dica: pratique a carona. Além de ser socialmente justo, é ecologicamente correto e diminui a quantidade de usuário no sistema público. Principalmente se na empresa há estacionamento e campanha de carona e rodízio.

Eduque as crianças desde pequenas a entender o trânsito, suas regras e o que ela deve respeitar e cumprir, isso formará um adulto consciente e muito mais fácil de ser inserido na sociedade.

É preciso usar a evolução a nosso favor. Hoje a realidade do brasileiro possibilita grande parte da população a adquirir bens, inclusive um automóvel, seja ele popular ou do ano. Quanto maior a frota, maior é o número de acidentes e vítimas.

Se for colocado em prática a cidadania, respeito, paciência, bom senso, educação e tudo aquilo que foi ensinado no centro de formação de condutores, com certeza esses números terão diminuição significativa no reflexo do quadro de hoje.

Seja um condutor consciente! Muitas coisas não combinam com direção. O governo faz sua parte com leis federais, estaduais e municipais para ponderar essa realidade e nós temos que fazer nossa parte para contribuir para um trânsito mais seguro e viável a todos.

Depende de nós!!!

Caminhoneiro, preserve sua vida!

06/10/2019 | Herbert Bento

Os caminhoneiros são profissionais de fundamental importância para o desenvolvimento econômico do país, pois movimentam em todo o Território Nacional e em regiões fronteiriças elementos essenciais para o abastecimento das comunidades. O caminhoneiro brasileiro é um profissional que percorre longas distâncias e nem sempre se alimenta de forma inadequada. Sua jornada de trabalho é frequentemente longa, tendo como consequentemente um sono de baixa qualidade.

Ainda hoje há uma grande dificuldade de regulamentação da profissão, muito em função da configuração do mercado, o que leva os motoristas a trabalharem longas jornadas, vários dias durante a semana. O setor de trabalho atual classifica os motoristas como:

– Assalariados: Registrados em carteira de trabalho;

– Agregados: Trabalhadores informais autônomos ou terceirizados com firma aberta.

Estudos indicam que um dos principais motivos para haver menos manutenção, aumento da jornada de trabalho e do carregamento de veículos, no Brasil, é o baixo valor dos fretes rodoviários. Tudo isso acarreta uma degradação tanto na saúde do trabalhador, quanto nas estradas brasileiras.

O motorista é a peça mais importante do seu caminhão. Quando sua saúde não anda bem, tudo corre perigo: o caminhão, a carga, sua vida e o sustento de sua família. E de que forma então o caminhoneiro pode agir para manter a saúde e viver melhor?

• Como controlar o sono na estrada?

o Nenhum motorista vence o sono. Não adianta insistir nem teimar em ficar dirigindo, sonhando acordado. O correto é encostar o caminhão em um lugar seguro e cochilar por cerca de 30 minutos;

o Quando estiver na estrada e for seu horário de folga, descanse;

o Em casa o sono é sagrado. Peça aos familiares para evitarem incômodos;

o Procure manter uma rotina. Dormir, acordar e trabalhar sempre no mesmo horário, evitando escalas que quebrem seu padrão de sono;

o Na estrada, atenção nunca é demais. Quando perceber que o sono vem chegando, estacione e descanse;

o Não tome remédios (rebites) para alterar seu sono;

o Não trabalhe doente. Mesmo um simples resfriado pode deixar você cansado e sonolento;

o Jamais beba álcool e dirija;

o Lembre-se: somente uma boa noite de sono garante um bom dia de trabalho.

• Antes de carregar o caminhão:

o Verifique se o caminhão está em condições de enfrentar qualquer viagem;

o Faça uma boa checagem da parte mecânica, elétrica, pneus, estepe, freios, água, etc.;

o Encha o tanque para não precisar parar logo no início da viagem;

o Escolha bem seu companheiro de viagem;

o Confira os documentos de carga (ordem de embarque, nota fiscal), do caminhão (licenciamento, seguro) e pessoais (identidade, habilitação);

o Ao sair da transportadora, ou empresa, procure o caminho mais rápido e seguro para chegar à estrada;

o Antes de pegar a estrada planeje bem sua viagem. Faça a si mesmo as seguintes perguntas: Para onde vou? Qual o melhor itinerário? Que tipo de carga vou levar e quais os cuidados preciso ter com ela? Onde vou parar para abastecer, comer e dormir? Chegando à cidade de destino, qual é o caminho mais fácil para ir até a empresa onde vou descarregar? Eu posso entregar a carga após as 18h? Será que na cidade, ou região, que vou tem muito assalto desse tipo de carga?

• Durante a viagem:

o Respeite as leis de trânsito e sinalização nas estradas. Vá tranquilo dirigindo com segurança e responsabilidade;

o Não de carona para pessoas estranhas. Fique atento: muitas vezes essas pessoas fingem estar desesperadas. Mas dentro do caminhão elas mostram a verdadeira face: são assaltantes;

o Nas paradas para refeições, abastecimentos ou manutenção, não comente com ninguém sobre sua carga, nem para onde você está indo;

o Se acontecer algum problema com seu caminhão, faça o possível para chegar até um posto da Polícia Rodoviária. Evite ficar parado em lugar deserto;

o Dormir em lugar que você não conhece é sempre um perigo. Procure o estacionamento de um posto de gasolina ou pare perto de um posto da Polícia Rodoviária. É mais seguro;

o Procure viajar em comboio ou próximo a outro caminhão. Se dispuser de rádio, procure conversar com frequência, dando sua posição na rodovia e informando qualquer fato anormal, inclusive em relação a outros veículos;

o Não para no acostamento para urinar. Faça em um posto de gasolina com banheiro.

• E se acontecer um assalto durante a viagem? O que devo fazer?

o Mantenha a calma para evitar que seja ferido ou morto;

o Não discuta com os bandidos em hipótese alguma;

o Fique atento a todo o tipo de comentário que fizerem durante o trajeto;

o Não encare o bandido diretamente, mas se possível observe suas características (cor, altura, cabelos, sinais, tatuagens, etc.);

o Caso seja amarrado, não se desespere nem faça movimentos bruscos, aguarde com calma a melhor oportunidade de se libertar;

o Após o assalto, informe a empresa e registre o fato na delegacia de polícia mais próxima, ou em um posto da Polícia Rodoviária;

o No caminho, informe ao serviço S.O.S Caminhoneiro (telefone: 0800-642-1122), que repassará as informações para as demais delegacias;

o Depois informe sua família, sem provocar pânico, tranquilizando-a;

o Jamais tente bancar o herói! É a sua vida que está em jogo!

o Quanto mais cedo à polícia for notificada, maior é a chance de localização e recuperação do veículo.

• Na entrega da carga:

o Antes de entrar na cidade de destino final, verifique as horas e calcule bem se vai dar para entregar a carga no mesmo dia;

o Se não for possível entregar no mesmo dia, durma em um local seguro e fique atento ao desembarque da carga. Confirme se está tudo OK e entregue a documentação;

o Aproveite que o caminhão está vazio e faça ma revisão. Verifique novamente pneus, a parte mecânica, elétrica, etc.;

o Procure uma carga de volta e faça um bom retorno. Sempre com os mesmos cuidados para sua maior segurança.

É importante que o caminhoneiro mantenha sempre a empresa e sua família informadas durante a viagem. Utilizar sistemas de segurança no transporte de cargas também é bastante importante, por exemplo: trava e alarmes eletrônicos e sistema de rastreamento por satélite para veículos e cargas. O uso de um GPS também é de grande valia para o caminhoneiro.

Não desvie das rotas planejadas a não ser por motivos de força maior. Evite deixar o veículo aberto e a chave no contato. E nunca se esqueça que o valor do bandido é a carga ou o caminhão, e não você.

Caminhoneiro, siga todas as instruções se segurança, mantenha-se atento e tenha uma boa viagem!

Direção Defensiva: classificação e exemplos

29/09/2019 | Herbert Bento

O trânsito, assim como muitas outras coisas que conhecemos, é feito pelas pessoas.

Então como em outras atividades humanas é necessário que se mantenha um bom relacionamento e uma boa convivência social para que tudo flua naturalmente.

Muitas vezes os valores de uma sociedade podem estar um pouco distorcidos e acabam acarretando graves consequências para o trânsito.

Ser o mais veloz, o mais esperto, ter o melhor carro, levar vantagem são exemplos de valores encontrados na nossa sociedade.

Mas não podem ser mantidos para sempre, pelo bem de todos e para a melhoria do trânsito.

Mudar comportamentos como esse é a única saída para uma vida coletiva com qualidade e respeito.

Transformando esses valores será possível o surgimento de um trânsito mais humano, harmonioso, seguro e justo!

Como conseguir essa mudança?

Primeiramente, devemos estar cientes de que em tudo o que fazemos há sempre uma dose de risco, seja trabalhando, em casa, na rua, viajando, etc.

Quando uma situação de risco não é percebida, as chances de acontecer um acidente aumentam drasticamente.

No trânsito os acidentes implicam em danos aos veículos e geram lesões nas pessoas. Ou seja, sempre são ruins. Mas há uma maneira de evitar que aconteçam. Através de um mecanismo conhecido como Direção Defensiva.

O que seria direção defensiva?

Também conhecida como direção segura é uma atitude de segurança e prevenção de acidentes.

Mas como acontece?

O motorista que conhece as técnicas da direção defensiva trata corretamente o veículo na hora de dirigir, reduzindo a possibilidade de envolvimento em acidentes de trânsito.

Este se torna capaz de reconhecer antecipadamente as situações de perigo, prevendo o que pode acontecer a ela, aos seus acompanhantes, com o veículo e as outras pessoas trafegando.

Simplificando, dirigir defensivamente é evitar acidentes apesar das ações incorretas dos outros e das condições adversas encontradas no trânsito.

E quais os tipos de direção defensiva?

• Preventiva: definida como a atitude permanente do motorista em evitar acidentes;

• Corretiva: atitude adotada pelo motorista ao se defrontar com a possibilidade de um acidente, corrigindo situações não previstas.

Então, como age um motorista consciente?

Antes de tudo é preciso conhecer as leis de trânsito.

Um condutor defensivo preserva a sua vida e a de todos que estão à sua volta aplicando de modo racional e sensato os conhecimentos referentes à lei e mantendo uma postura na condução do veículo de sempre evitar acidentes.

As normas e regras de trânsito jamais devem ser desrespeitadas. Geralmente, os acidentes são evitáveis por um ou ambos os motoristas envolvidos.

Certo, até agora entendemos o que é direção defensiva e como um motorista deve agir.

Mas o que ele necessita para ter sucesso na aplicação dessa técnica?

• Conhecimento sobre as leis e regras de trânsito através do Código de Trânsito Brasileiro e do aprendizado na prática.

• Atenção a todos os elementos da via, as condições físicas e mentais do condutor, a manutenção do veículo, etc.

• Prever uma situação de risco e saber exatamente como agir diante dela. Por exemplo: prevê a possibilidade de riscos em um cruzamento e sabe como agir diante disso.

• Decisão para ser sempre ágil nas tomadas de decisões não esquecendo o bom senso e da experiência.

• Habilidade para ser capaz de manusear os controles de um veículo e executar com sucesso qualquer manobra necessária no trânsito.

Somando-se a tudo o que foi citado é preciso conhecer e aplicar as…

3 medidas básicas para a prevenção de acidentes

• Considerar o risco;

• Conhecer e aplicar a defesa;

• Agir no momento certo.

Bem, agora já entendemos o que é direção defensiva e como aplicar a técnica.

Porém, ainda há a necessidade de estarmos atentos a condições adversas com as quais precisamos saber como lidar.

São consideradas condições adversas todos os fatores que podem prejudicar o bom desempenho no ato de conduzir, tornando maior a possibilidade de um acidente de trânsito.

Existem várias dessas condições e vale lembrar que nem sempre elas aparecem isoladamente, tornando o perigo ainda maior.

Exemplos de condições adversas

• Condições adversas da luz que podem alterar a capacidade do motorista de ver e ser visto. A visão é mais prejudicada em dois momentos:

– Ao amanhecer ou no por do sol quando a luz incide diretamente nos olhos do motorista;

– Em dias de chuva quando os faróis causam ofuscamento da visão.

Para prevenir, em vias iluminadas utilize farol baixo, a noite ao perceber um veículo no sentido oposto abaixe o farol e nas rodovias utilize os faróis em luz baixa.

• Condições adversas do tempo reduzem a capacidade visual do motorista e causam problemas nas estradas deixando-as ainda mais perigosas. Nesse caso, reduza a marcha, acenda as luzes baixas e se o tempo estiver muito ruim pare e espere que melhore.

• Aquaplanagem ou hidroplanagem é a falta de aderência dos pneus a via. Ocorre por causa da formação de uma camada de água entre a pista e o pneu do veículo, levando o condutor a perda do controle do mesmo. Ao se encontrar nessa situação o motorista deve desacelerar suavemente, segurar firme o volante e manter o veículo em linha reta o máximo possível. Evite frear bruscamente e movimentar a direção de forma brusca. Veículos leves aquaplanam mais facilmente que os pesados.

• Condições adversas da via devem ser consideradas antes de iniciar o trajeto para planejar o melhor itinerário e o tempo necessário para chegar ao destino. Exemplos de condições adversas: curvas, desvio, largura da pista, buracos, obras, etc.

• Condições adversas do trânsito envolvem a presença dos outros usuários da via interferindo no comportamento do motorista. Existem períodos do dia que afetam bastante o tráfego nas vias como horários de pico, quando a movimentação de pessoas e veículos é intensificada. O motorista defensivo deve avaliar à frente a atrás, avaliando as condições do trânsito evitando situações estressantes e/ou sofrer qualquer acidente.

• Condições adversas do veículo. A manutenção deve estar em dia, pois além de valorizar o veículo é um investimento de segurança. É necessária que seja feita regularmente.

• Equipamentos indispensáveis para um bom condutor prevenido:

– Pneus;

– Freios;

– Sistema de suspensão;

– Sistema elétrico;

– Espelhos retrovisores;

– Limpador de pára-brisas.

Todos devem estar em perfeito estado para o bom funcionamento do veículo.

• Condições adversas do motorista são altamente importantes. É necessário que o condutor esteja física e mentalmente em condições de dirigir um veículo.

• São consideradas condições físicas: fadiga, sono, estresse, visão deficiente, audição deficiente, perturbação física, estado alcoólico.

• Maneiras de dirigir também são causas de acidentes no trânsito. Para conduzir o veículo corretamente deve-se dirigir sempre com as duas mãos segurando o volante firmemente, caso necessite parar utilize o acostamento, não se curve para apanhar objetos com o veículo em movimento, não fale ao telefone enquanto dirige e evite manobras bruscas.

Não tenha pressa ao dirigir!

Planeje com antecedência o roteiro que for seguir para não precisar correr demais.

Cuidado com qualquer coisa que possa distraí-lo de alguma forma!

• Colisões podem ser evitadas. Esteja sempre atento, tenha total controle do que está fazendo, mantenha distância do veículo da frente, nunca espere para frear muito próximo de outro veículo, sinalize suas ações, livre-se dos colados a sua traseira, cuidado com as curvas, atenção aos cruzamentos, cuidado com as ultrapassagens.

Use sempre o cinto de segurança!

Seu uso é obrigatório e garante sua segurança em casos de acidentes.

Empregando sempre as técnicas para a direção defensiva, o motorista não só preserva sua vida como também a dos demais a sua volta e utilitários da via na qual se encontra.

Tenha amor pela sua vida!

Dirija com consciência e respeito!

Uso do cinto de segurança diminui ou até evita traumatismos

22/09/2019 | Herbert Bento

Nos dias atuais, onde todos tem pressa para fazer tudo, sempre correndo, atrasados para seus compromissos, muitos acabam deixando de lado a segurança. Hoje veremos a importância do cinto de segurança, algo que parece ser tão simbólico, mas que pode salvar muitas vidas no trânsito.

Muitas pessoas hoje em dia não enxergam mais as ruas como uma via coletiva, mas sim uma via particular, um caminho em que ela tem prioridade para chegar a seus compromissos.

Parece que só isso explica o comportamento que certos motoristas tem.

Uma das maneiras de se proteger de acidentes no trânsito é usando o cinto de segurança.

Veículos podem ser letais como uma arma.

Colisões em alta velocidade podem causar traumas mortais, deixar sequelas para toda a vida, e uma das formas mais eficientes de se proteger contra isso é usando o cinto de segurança.

O cinto de segurança serve para proteger os ocupantes de um veículo, tanto o motorista, como os passageiros.

Porém, no nosso país, criou-se erroneamente o hábito de que só o motorista deveria usar o cinto.

Após muitas campanhas de conscientização, palestras informativas, conseguiu-se ter uma melhora nesse ponto, visto que as pessoas passaram a ter mais consciência da necessidade do cinto, e percebeu-se um aumento expressivo no uso do cinto de segurança pelos caronas.

Agora as campanhas são voltadas para o uso de cinto de segurança nos passageiros de trás, que ainda é ignorado por muitos.

Pesquisas mostram que um em cada dez brasileiros usa o cinto no banco traseiro do carro.

Em colisões a 50 km/h, uma criança de 20 quilos se projeta contra o banco da frente com uma força de 300 quilos. Um adulto é lançado com o peso de quase uma tonelada.

Há dois artigos no CTB (Código de Trânsito Brasileiro) falando sobre a obrigatoriedade do cinto de segurança, tanto para o motorista, quanto para os passageiros e as consequências do desrespeito a essa obrigatoriedade, vejamos:

”Art. 65 – É obrigatório o uso do cinto de segurança para o condutor e os passageiros em todas as vias do território nacional, salvo em situações regulamentadas pelo CONTRAN.

Art. 167. (Constitui infração de trânsito) deixar o condutor ou passageiro de usar o cinto de segurança, conforme previsto no art. 65:

Infração grave;

Penalidade – multa;

Medida administrativa – retenção do veículo até colocação do cinto pelo infrator.”

Os acidentes mais graves ocorrem normalmente nas estradas, onde os motoristas dirigem em velocidades mais altas e muitas vezes em condições impróprias à direção defensiva- cansados, com sono, estafados de trabalho.

Qualquer erro pode ser fatal, e o cinto de segurança nessas horas pode ser decisivo entre um acidente sério com consequências com você ou “apenas” com seu carro.

Os traumas causados por um acidente de carro vão desde traumatismo craniano, lesões na coluna vertebral, até hemorragias internas.

Fica claro que não vale a pena correr o risco só porque usar o cinto é “desconfortável”.

Vale lembrar que para as crianças menores que sete anos e meio, a lei exige o uso da cadeirinha.

E as empresas fiquem atentas para que seus funcionários motoristas não deixem de usá-lo, pois no caso desses empregados este é o meio preventivo para diminuir os impactos, caso haja um acidente.

Cabe ao empregador a orientação e cobrança do uso do cinto, sendo este uma das ferramentas de segurança na execução de sua tarefa, que é de dirigir.

Direção Defensiva faz toda a diferença

22/09/2019 | Herbert Bento

Direção defensiva pode ser definida como a perícia de um motorista para conduzir de forma correta e segura o seu veículo, reduzindo assim as chances de se envolver em acidentes de trânsito.

É uma atitude perante o trânsito, visando à prevenção de acidentes.

A direção defensiva pode ser tanto preventiva (que visa à prevenção dos acidentes, devendo ser uma atitude constante do motorista) ou corretiva (que visa à consideração da possibilidade de um acidente ocorrer).

O motorista deve estar preparado a se defrontar com situações em que terá de agir de maneira rápida e perspicaz para evitar um acidente em uma situação que não estava prevista.

Passa pela postura defensiva de um motorista saber evitar acidentes considerando a possibilidade de uma postura errada vinda dos outros motoristas.

Não basta só ir nas aulas teóricas em que o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) é estudado.

Mesmo após ministradas as aulas e terminado as horas necessárias, é importante sempre estar relendo os principais pontos para conhecer seus direitos e deveres no trânsito com os outros motoristas e com os pedestres.

A atenção é extremamente necessária

O condutor deve estar atento a tudo que acontece a sua volta, para que possa prever possíveis posturas inadequadas de outros motoristas e tenha tempo de reação para conseguir evitar algum acidente.

A tomada de decisão é extremamente importante, pois muitas vezes você precisará se decidir rápido sobre o que fazer em situações inesperadas, por isso é necessário estar sempre preparado para o imprevisível.

Atitudes que devemos tomar que colaboram na direção defensiva

• Posicionar os espelhos antes de sair com o carro de modo a diminuir ao máximo os pontos cegos;

• Fazer uma limpeza regular nos pára-brisas;

• Evitar dirigir caso esteja com sono, com fadiga;

• Entender que a pressa pode levá-lo à ter um acidente ou até mesmo tirar a vida de uma pessoa inocente;

• Evitar a distração na direção;

• Todos passageiros do carro devem usar sempre o cinto de segurança;

• É essencial aos motoristas ter noção dos primeiros socorros,que podem fazer a diferença em um acidente mais sério;

• Evitar tomar remédios que causarão efeitos colaterais que poderão atrapalhá-lo caso precise dirigir;

• A manutenção periódica do veículo é importante;

• Checar as regulagens do motor, o alinhamento da direção, o balanceamento das rodas, checar os freios- fazer um “check-up” periodicamente em seu carro para não ser surpreendido em algum momento inoportuno;

• Ter consciência de como proceder em dias de chuva ou com muita neblina: dirigir mais cautelosamente; reduzir a velocidade; ligar os faróis; evitar passar em vias que você não conhece; evitar locais muito esburacados ou com pistas de terra.

Se todos motoristas tentarem colocar mais em prática a direção defensiva, com certeza teremos uma enorme redução nos índices de acidentes no trânsito.

Por que não começar fazendo a sua parte?

Para complementar sua segurança leia também o DDS “Uso do cinto de segurança diminui ou até evita traumatismo”.

Praticar direção defensiva

03/04/2019 | Herbert Bento

Material obrigatório quando se vai tirar a licença para dirigir, mas que aos olhos de muitos é considerado uma “besteira”, mas vamos tratar desse assunto que é muito sério e que pode salvar sua vida: praticar direção defensiva.

O que vem a ser direção defensiva? É um conjunto de ações e medidas que visam a prevenção ou minimização de acidentes, neste caso, no trânsito. Onde a falha, negligência, imperícia humana é a causa do acidente.

Ou seja, a direção defensiva é uma forma de dirigir que permite a você reconhecer antecipadamente as situações de perigo e prever o que pode acontecer.

Desde 2004, no Brasil, o motorista é obrigado a passar pelo curso de Direção defensiva, seja para obter ou renovar sua habilitação.

Algumas premissas são necessárias para que a prática da direção defensiva seja efetiva, a primeira é conhecer as leis de trânsito (e respeitá-las), a segunda é manter seu veículo em boas condições de uso e a última é se atentar para as condições adversas que possam implicar em uma situação de risco.

Em tudo que fazemos existe um risco, seja no trabalho, em casa, praticando esportes quanto transitando pelas ruas. O perigo está na situação de risco que não é percebida, pois quando não se consegue visualizar o perigo, aumenta exponencialmente as chances do acidente ocorrer.

Vamos então às dicas para praticar direção defensiva:

·      Respeite as placas de sinalização;

·      Deve-se manter o veículo com a manutenção periódica e preventiva em dia;

·      Atente-se ao combustível, óleo, água do sistema de arrefecimento, lanternas e etc…

·    Pneus, estes têm papel fundamental, que é o impulsionar, frear e manter a dirigibilidade do veículo, então atente-se a calibragem, o seu desgaste e etc.

·    Além de ser lei, verifique sempre o cinto de segurança, se estão em boas condições e teste o travamento dele.

·      Evite o desgaste físico do condutor, utilizando a maneira correta de sentar e dirigir;

·    Use o retrovisor corretamente, pois quanto mais você enxergar o que acontece à sua volta maior a probabilidade de evitar situações de perigo;

·   Evite se desconcentrar, celular, rádios e qualquer coisa que diminua sua atenção ao dirigir;

·      Não consuma bebidas alcoólicas, não use drogas, ou dirija enquanto está em tratamento com medicamento que modifique seu comportamento, ou fique muito tempo sem dormir;

·      Falando em fatores que reduzem a concentração é importante lembrar que usar o celular ao dirigir (mesmo que seja por viva-voz), ouvir som com volume que não permita ouvir os sons que seu próprio veículo ou os demais emitam;

·    Mantenha a distância de 1 carro a sua frente ou use a regra dos dois segundos, espere dois segundos a partir do ponto que o da frente passou;

·      Não se envolva com brigas no trânsito;

·      Mantenha a distância de ciclistas, motociclistas e pedestres;

·   Em viagem longa, sempre faça uma pausa a cada duas horas ou sempre que houver cansaço;

·      Evite viajar a noite, com chuva, neblina.

Use essas dicas em seu dia a dia, e mantenha aquilo que é mais valioso em segurança: a sua vida! Até a próxima!

Leitura complementar sobre praticar direção defensiva:

http://vias-seguras.com/documentos/arquivos/denatran_manual_de_direcao_defensiva_maio_2005

Direção Defensiva é dever de todos

24/12/2018 | Herbert Bento

No trânsito encontramos diversas pessoas, da mais jovem que acabou de tirar sua carteira nacional de habilitação aos 18 anos até o ancião com toda sua experiência, e também pessoas que são prudentes, imprudente, educadas, pacíficas e os nervosinhos.

Com isso, presenciamos e somos informados todos os dias sobre acidentes e milhares de vitimas, principalmente em feriados.

Nesse contexto, podemos destacar quatro princípios que são importantes para o relacionamento e a convivência social no trânsito.

O primeiro é a dignidade humana, que consiste no convívio social e o respeito mútuo no trânsito.

O segundo é a igualdade de direitos. Ter a equidade e o respeito às diferenças de cada um. Todos têm direito de dirigir, mas cada um tem o seu jeito diferente de agir.

O terceiro é o da participação, ou seja, toda a sociedade se mobilizar em prol de uma causa positiva ou negativa para formação de leis ou campanhas.

O quarto é o princípio da corresponsabilidade pela vida, são atitudes prevencionistas e respeito ao próximo, valorizar a vida.

Comportamentos expressam princípios e valores que a sociedade constrói e referenda que cada pessoa toma para si e leva para o trânsito.

Os valores, por sua vez, expressam as contradições e conflitos entre os segmentos sociais e mesmo entre os papéis que cada pessoa desempenha.

Direção defensiva, ou direção segura, é a melhor maneira de dirigir e de se comportar no trânsito, porque ajuda a preservar a vida, a saúde e o meio ambiente.

Mas, o que é a direção defensiva?

É a forma de dirigir, que permite a você reconhecer antecipadamente as situações de perigo e prever o que pode acontecer com você, com seus acompanhantes, com o seu veículo e com os outros usuários da via.

Na grande maioria dos acidentes, o fator humano está presente, ou seja, cabe aos condutores e aos pedestres uma boa dose de responsabilidade.

Toda ocorrência trágica, quando previsível, é evitável.

Os riscos e os perigos a que estamos sujeitos no trânsito estão relacionados com:

■ Os Veículos;

■ Os Condutores;

■ As Vias de Trânsito;

■ O Ambiente;

■ O Comportamento das pessoas.

O Condutor defensivo é aquele que adota procedimentos preventivos no trânsito, sempre com cautela e civilidade. Dirige sempre pensando em segurança, em prevenir acidentes, independente dos fatores externos e das condições adversas que possam estar presentes.

Deve ter:

Conhecimento

• Das leis e normas de trânsito

• Das particularidades do veículo

• Das condições adversas;

Atenção

• A sinalização

• O comportamento dos demais condutores

• Comportamento de pedestres, ciclistas e demais veículos não motorizados

• As possíveis e prováveis condições adversas;

Previsão

Na direção defensiva a Previsão ocorre simultaneamente com a atenção; a exata medida que a Atenção vai mapeando o terreno, o cérebro tenta Prever e Antecipar possíveis acontecimentos, de modo a poder agir prontamente, se necessário, para não ser tomado de surpresa;

Decisão

A Decisão Correta, é a meta da direção defensiva. Uma boa percepção das situações implica um rápido exame das alternativas de ações e na escolha inteligente a tempo de evitar o acidente;

Habilidade/Ação

• Significa operar os controles do veiculo e executar com perícia qualquer manobra básica de condução do veiculo.

As piores ações no trânsito são:

➢ Imprudência

➢ Imperícia

➢ Negligência

A responsabilidade é de cada um, condutores e pedestres. Todos devem se qualificar, respeitar e ter mais paciência no trânsito.

Nas empresas é aconselhável o curso de direção defensiva, informativos ou campanhas de conscientização.

7 Motivos para Você Não Usar o Celular Enquanto Dirige

15/05/2015 | Herbert Bento
(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});
Você sabia que mais de 50% dos acidentes de trânsito são causados pelo uso indevido do celular? Checar WhatsApp, mandar um SMS, atender uma ligação ou atualizar o status das redes sociais pode parecer inofensivo, mas além da multa de R$ 85 reais e a perda de 4 pontos na carteira os motoristas ainda podem se envolver em acidentes fatais e prejudicar também a vida de terceiros. De acordo com pesquisas sobre o tema, checar o celular enquanto dirige aumenta em até 400% o risco de acidentes de trânsito. O uso do aparelho de telefonia móvel tira o foco da atenção dos motoristas e compromete a capacidade perceptiva das pessoas aumentando as chances de colisão. Para se ter uma ideia, usar celular enquanto dirige é tão ruim quanto guiar sob efeito de drogas e álcool. Se você ainda não acha que os celulares podem ser prejudiciais para a saúde no trânsito aqui vão 7 motivos para não usar o aparelho enquanto dirige: 7 Motivos 1 Cpia1.Médicos, físicos e especialistas garantem que é impossível realizar diversas tarefas ao mesmo tempo. A capacidade cerebral humana limita-se a executar uma tarefa por vez, já que dirigir exige foco, atenção e nenhuma distração, devido a necessidade de raciocínio rápido e reflexos imediatos, dirigir falando ao celular se torna inadmissível. 2- As grandes empresas automotivas, cientes do alto risco de acidentes causados pelo uso indevido do celular, estão promovendo campanhas educativas para que os motoristas não desviem a atenção da estrada e respeitem as leis de segurança do trânsito. 3- Estudos apontam que 1 em cada 3 acidentes que acontecem no Brasil são devido ao uso incorreto do aparelho celular, ou seja, a melhor prevenção é o bom senso. Jamais deve-se admitir ao condutores falar ao telefone ou checar mensagens enquanto dirige. 4- Para se ter uma noção real das estatísticas, os acidentes causados por pessoas que trocam mensagens pelo celular no trânsito já ultrapassam os acidentes ocasionados pelo uso excessivo de álcool. 5- Existem hoje diversas ações para conscientizar os motoristas dos riscos do uso de celular ao volante, uma delas é a criação de aplicativos que bloqueiam as funções do aparelho móvel enquanto o condutor estiver com o veículo em movimento. Ao liberar o aplicativo, o motorista recebe então uma mensagem com as ligações recebidas para retornar. 6- Seja consciente! Ao usar o celular o motorista perde a visão 360 graus possibilitada pelos retrovisores e vidros dianteiros, ficando com a visão limitada, o que pode aumentar drasticamente o número de colisão com outros veículos, muretas, postes e etc; 7- Pense nos outros! Os acidentes de trânsito geralmente envolvem terceiros. A irresponsabilidade de não cumprir com a lei pode acabar prejudicando pessoas que não tem nada a ver com a sua negligência ao volante. Agora que você já sabe de todas as consequências que essa imprudência pode ocasionar é importante estar atento e respeitar a lei!

Fundado em novembro de 2008, o DDS Online contribui para a área de Segurança e Saúde Ocupacional através da divulgação de temas para DDS e cursos online.

Nos siga

© 2022 Escola da Prevenção - Herbert B Faria Treinamentos CNPJ 18.768.540/0001-85 Todos os direitos reservados.