Neste DDS vamos tratar da segurança no trabalho em ambientes frios, mas antes de começarmos, vamos entender o que ocorre com o corpo humano em baixas temperaturas.

Quando em ambientes com baixas temperaturas o diâmetro dos vasos sanguíneos diminuem para evitar a perda excessiva de calor e manter a temperatura estável. Esse fenômeno se chama vasoconstrição.

Mas em ambientes de baixa temperatura, quando o corpo não tem a proteção adequada, esse fenômeno é tão intenso que pode impedir a circulação normal do sangue a alguma parte do corpo.

Em situações de extremo frio, os vasos podem chegar a congelar, ou seja, micro cristais de gelo se formam no interior, chamado então de frostbite, ou em português algo como lesão pelo frio ou ulceração pelo frio.

Outras doenças podem ser causadas pelo frio ocupacional, como:

·      Fenômeno de Raynaud, onde a baixa temperatura deixa algumas áreas do corpo dormentes e frias;

·      Ulcerações, que são danos na pele causados pela temperatura  abaixo do ponto de congelamento;

·      A diminuição de oxigênio no organismo, a hipóxia, que pode chegar a sonolência, cefaleia e hipóxia muscular.

Percebemos então que quem exerce atividade em ambientes frios estão expostos a esses riscos, desconforto, doenças ocupacionais, acidentes de trabalho, ou até mortes.

É comum vermos em filmes alguém ficar preso em uma câmara fria, mas acredite, isso pode ocorrer na vida real.

Vamos recapitular o que pode ocorrer de risco: a perda excessiva da temperatura (hipotermia), acidentes com a movimentação de materiais, trancamento acidental no interior da câmara fria, etc.

Como prevenir?

·       A prevenção é a melhor maneira de evitar lesões pelo frio, assim que reconhecer o problema pelos seus sinais e sintomas.

·      Use roupas adequadas ao ambiente laboral, lembrando de considerar os EPIs.

·      Use camadas para se agasalhar, adicionando ou retirando conforme a necessidade, pois deve-se evitar suar sob a roupa.

·      Saiba onde tem acesso a uma sala de recuperação, e utilize das bebidas quentes (não alcoólicas)

·      As empilhadeiras e similares com cabines isoladas e climatizadas.

·      Todo gelo em excesso ou acumulado deve ser removido;

·      Os colaboradores deverão estar clinicamente aptas e em acordo com a NR-07;

·      Acesso controlado a recintos para evitar o trancamento acidental de pessoas em câmara;

·       Deverá ter uma forma de comunicação com o espaço exterior;

·       Saída de emergência sinalizada;

·       Sistema de alarme interno e com reserva de energia;

·       Iluminação de emergência devidamente inspecionada;

·       Sempre efetuada inspeção da área antes do final do expediente e trancamento.

Essas dicas servem para que o colaborador que trabalhe em ambientes de baixa temperatura não venha a sofrer acidentes, danos na saúde ou até a morte.

Aproveitem as dicas e até a próxima!


Herbert Bento
Herbert Bento

O DDS Online foi fundado em 2009 e tornou-se referência no ramo de diálogos de segurança do trabalho. A missão do DDS Online é compartilhar as boas práticas de trabalho para que os brasileiros possam voltar sadios para suas famílias depois de um dia de serviço!