A eletricidade pode matar você. Por isso é importante esse DDS sobre riscos do choque elétrico.

Muitas pessoas sabem muito pouco ou quase nada sobre eletricidade, apesar de ser usada amplamente no dia-a-dia de nosso trabalho em nossas casas.

Nós acionamos um interruptor e a luz acende ou um equipamento é ligado. Trocamos uma lâmpada quando se queima.

Consideramos a eletricidade e suas muitas aplicações como seguras, pelo fato de nos prestarem muitos serviços de maneira simples e fácil.

As estatísticas indicam que muitos trabalhadores foram mortos em circuitos de 110 volts. Um choque resultante de um contato com apenas 15 miliampéres de corrente pode ser fatal. A 110 volts uma lâmpada de 6 velas puxa 50 miliampéres de corrente.

Consequentemente a quantidade de corrente usada por uma lâmpada desta, puxa corrente o bastante para matar 3 seres humanos.

Não existem dados sobre acidentes com energia elétrica em nossas casas, mas certamente este número é elevado, face ao desconhecimento das pessoas, principalmente quando são crianças.

Para se proteger contra os riscos da eletricidade quando manusear furadeiras, serras elétricas, lixadeiras ou cabos de extensão, tome conhecimento dos fatos básicos relacionados com as causas do choque.

Por exemplo: a condição do corpo do indivíduo tem muito a ver com as chances de ser morto por um choque.

Se a as mãos estiverem suadas, os sapatos e meias estiverem úmidos, ou se o piso estiver molhado, a corrente não encontrará dificuldades (resistência), passando facilmente através do corpo e aumentar a severidade do choque.

Quando estiver trabalhando com ferramentas ou aplicações elétricas, lembre-se das seguintes regras de preservação da vida:

  • Certifique-se se a conexão do pino terra esteja intacta antes de ligá-lo a qualquer tomada;
  • Tenha extremo cuidado quando trabalhar com ferramentas elétricas portáteis em locais úmidos ou molhados, ou próximos destes locais. Isto inclui tanques e caldeiras ou tubulações e outros projetos aterrados que você possa eventualmente tocar, permitindo a passagem da eletricidade através de seu corpo até o fio-terra;
  • Informe sobre cabos desfiados ou quebrados;
  • Se você tomar um choque de algum equipamento que estiver usando, relate isto a seu supervisor para que mande fazer os reparos necessários. Deixe os reparos elétricos para os especialistas;
  • Certifique-se de estar usando apenas equipamento aterrado ou aprovado.
  • Use ferramentas para reparo protegidas, e não deixe de estar usando o EPI adequado.

LEMBRE-SE “A VIDA PODE ESTAR POR UM FIO”.

O fluxo de corrente é que causa danos ao organismo em caso de um choque elétrico.

Quando uma pessoa se torna parte de um circuito elétrico, a severidade do choque é determinada por 3 fatores básicos:

  • a taxa do fluxo através do corpo
  • o percurso da corrente através do corpo
  • o tempo com que o corpo foi parte do circuito

A eletricidade pode se deslocar somente quando há circuito completo.

O choque pode ocorrer quando o corpo faz contato com ambos os fios de um circuito ( o positivo e o neutro ), um fio de circuito energizado e o terra , ou uma parte metálica de um dispositivo elétrico que tenha sido energizado.

As mulheres possuem menor resistência ao choque elétrico do que os homens, em função da constituição orgânica e de outros fatores.

Fatores tais como condição física, a umidade da pele, podem determinar a quantidade de eletricidade que um corpo humano pode tolerar.

Infelizmente o ser humano não possui qualquer proteção interna contra o fluxo de corrente elétrica.

A superfície da pele fornece a maior parte da resistência ao fluxo da corrente.

Calos ou peles secas possuem resistência razoavelmente alta, mas a pele úmida possui pouca resistência.

Quando a resistência da pele é interrompida, a corrente flui facilmente através da corrente sangüínea e dos tecidos do corpo.

Qualquer que seja a proteção oferecida pela resistência com o aumento da voltagem.

A morte ou ferimentos causados pelo choque elétrico podem resultar do seguinte:

  • contração dos músculos peitorais, podendo interferir na respiração a tal ponto que resultará em morte por asfixia;
  • paralisia temporária do sistema nervoso central, podendo causar parada respiratória, uma condição que frequentemente permanece, mesmo depois da vítima ter sido desconectada da parte energizada;
  • interferência do ritmo normal do coração, uma condição na qual as fibras do músculo cardíaco, em vez de contraírem de maneira coordenada, contraem separadamente e em diferentes momentos. A circulação do sangue pára e ocorre a morte;
  • parada cardíaca por contração muscular ( em contato com alta corrente ).
  • Neste caso o coração pode reassumir seu ritmo normal quando a vítima é libertada do circuito.
  • hemorragias e destruição dos tecidos, nervos e músculos do coração devido ao calor provocado pela alta corrente.

Gostou deste DDS sobre riscos do choque elétrico?

Obrigado por visitar a DDS Online.


Herbert Bento
Herbert Bento

O DDS Online foi fundado em 2009 e tornou-se referência no ramo de diálogos de segurança do trabalho. A missão do DDS Online é compartilhar as boas práticas de trabalho para que os brasileiros possam voltar sadios para suas famílias depois de um dia de serviço!