Para nosso entendimento, vamos falar sobre segurança na atracação e desatracação de embarcações em terra, porto ou em outra embarcação.

Atracação é o ato de amarrar uma embarcação e desatracação é o ato inverso, ou seja, desamarrar a embarcação. Muito comum na indústria naval.

Nesse ato de amarrar e desamarrar, existem riscos de queda no mar, a operação em si oferece sérios riscos aos trabalhadores. Então vamos a algumas dicas e recomendações sobre essa atividade.

A norma regulamentadora de número 29 preconiza que deverão ser adotadas medidas de prevenção acidentes, com cuidados especiais aos riscos de prensagem, batidas contra e esforços excessivos dos trabalhadores.

Apresenta que o uso de um sistema de comunicação entre o prático, na embarcação, e o responsável em terra pela atividade é obrigatório, pois deste modo é assegurada uma comunicação bilateral, ou seja, de ambos os lados.

Então uma pessoa responsável em terra deverá dirigir as operações de atracação, pois deverá certificar que tudo esteja correndo com eficiência e segurança, pois é dever do responsável evitar que pessoas fiquem próximos a lugares perigosos nas manobras, antes de ordenar que se larguem ou recolham os cabos de amarração.

Todos os trabalhadores envolvidos nessas operações devem fazer uso de coletes salva-vidas (Classe IV e aprovado pela Diretoria de Portos e Costas).

Deverão os trabalhadores que não fazem parte do processo deverão manter uma distância mínima de 30 metros.

O mínimo para participar com segurança nas operações de atracação são dois profissionais.

Por estarem sempre sob tensão, os cabos podem sofrer ocasional ruptura e acontecer o efeito chicote, sabendo disso os membros da equipe deverão sempre se posicionar em local seguro para evitar serem alcançados pelo efeito.

Falando em cabos, uma embarcação não pode combinar na mesma direção cabos de fibra e cabos metálicos, pois eles possuem diferentes graus de elasticidade.

Antes dos procedimentos deverá ser feito uma vistoria prévia dos cabos e espias utilizados na atracação da embarcação.

Se você não sabe o que é “espia”, vamos explicar: é um conjunto de cabos de amarração de uma embarcação. Cabos lançantes de proa e popa, Springer’s de proa, popa e través.

Anteriormente falamos que os trabalhadores deverão usar coletes salva-vidas, mas também deverão estar disponíveis próximas ao local do procedimento bóias salva-vidas, soltas ou fixadas em cabos.

Se referindo aos equipamentos em terra, a administração do porto deverá providenciar a manobra dos guindastes e pórticos para uma posição segura, para que deixe a área livre de atracação.

Fiquem atentos a essas recomendações e trabalhem para que seu trabalho seja sempre seguro! Até a próxima!

Leitura complementar sobre segurança na atracação:

http://www.portosdoparana.pr.gov.br/arquivos/File/APDICIONARIO.pdf


Herbert Bento
Herbert Bento

O DDS Online foi fundado em 2009 e tornou-se referência no ramo de diálogos de segurança do trabalho. A missão do DDS Online é compartilhar as boas práticas de trabalho para que os brasileiros possam voltar sadios para suas famílias depois de um dia de serviço!