Elétrica

Últimos posts em Elétrica

Técnicas de segurança em eletricidade

05/10/2019 | Herbert Bento

Nesse DDS vamos falar sobre técnicas de segurança em eletricidade.

A energia elétrica que chega às indústrias, comércios e as nossas casas, é gerada (no Brasil) principalmente por usinas hidrelétricas. Nesses locais, a água é captada, passa por turbinas que transformam a energia mecânica, originada pela queda d’água, em energia elétrica.

Visto isso, a eletricidade é a forma de geração de energia mais usada mundialmente. É facilmente encontrada na maioria dos lugares, de fácil transporte e, ultimamente, essencial para a vida de milhões de pessoas.

Ninguém consegue ver a eletricidade. Somente a sentimos através de suas manifestações exteriores, como por exemplo, iluminação, etc. Por causa disso, muitas vezes as pessoas são expostas a situações de risco, pois subestimam ou ignoram o poder da eletricidade.

E quais seriam os riscos em instalações e serviços em eletricidade?

• Choque elétrico: Caracterizado por um rápido estímulo no corpo humano gerado por corrente elétrica.

Efeitos:

Contrações violentas dos músculos, fibrilação ventricular do coração (que pode levar a uma parada cardíaca), lesões térmicas e não térmicas, podendo levar a óbito.

Causas:

Contato com um condutor nu energizado. Por exemplo: Quando equipamentos como guindastes tocam nos condutores, tornando-se parte do circuito elétrico. Ao serem tocados pelo motorista, ou uma pessoa do lado de fora, e essa pessoa/motorista mantiver contato simultâneo com o veículo e a terra, acontece um acidente fatal.

• Falha na isolação elétrica. Os condutores devem ser recobertos por uma película isolante. Alguns fatores ocasionam a deterioração desse material, como calor e temperatura elevados, umidade, oxidação, radiação, produtos químicos, desgaste mecânico, etc.

• Queimaduras: A corrente elétrica atinge o organismo através da pele. Por isso, a maioria das vítimas de acidentes com eletricidade apresentam queimaduras.

Pelo fato da pele ser altamente resistente, a passagem de corrente elétrica produz alterações estruturais conhecidas por “marcas de corrente”.

A eletricidade produz queimaduras por diversas formas, classificadas como:

– Queimadura por contato: Ao tocar uma superfície condutora energizada.

– Queimadura por arco voltaico: Fluxo de corrente elétrica no ar, produzida pela conexão e desconexão de dispositivos elétricos e em caso de curto-circuito.

– Queimadura por vapor metálico.

– Queimaduras por radiação.

• Campos eletromagnéticos: É gerado através da passagem da corrente elétrica nos meios condutores.

E de que forma podemos prevenir os riscos da eletricidade?

• Desenergização: Consiste num conjunto de ações coordenadas, seqüenciais e controladas que garantam a efetiva ausência de tensão no circuito, trecho ou ponto de trabalho durante todo o tempo de intervenção e sob controle dos trabalhadores envolvidos.

• Aterramento funcional (TN/ TT/ IT); de proteção, temporário:

• Aterramento: ligação intencional com a terra através da qual as correntes elétricas podem fluir. O aterramento pode ser:

• Funcional: Ligação através de um dos condutores do sistema neutro.

• Proteção: Ligação à terra das massas e dos elementos condutores estranhos à instalação.

• Temporário: Ligação elétrica efetiva destinada a garantir equipotencialidade e mantida continuamente durante a intervenção na instalação elétrica.

• Equipotencialização: Consiste na interligação de elementos especificados, visando obter a equipotencialidade necessária para os fins desejados. Todas as massas de uma instalação devem estar ligadas a condutores de proteção.

• Seccionamento automático da alimentação: Possui um dispositivo de proteção que deverá seccionar automaticamente a alimentação do circuito ou equipamento por ele protegido sempre que uma falta no circuito ou equipamento der origem a uma corrente superior ao valor ajustado no dispositivo de proteção, levando-se em conta o tempo de exposição à tensão de contato.

• Dispositivos a corrente de fuga: Desliga a rede de fornecimento de energia elétrica, o equipamento ou instalação que ele protege, na ocorrência de uma corrente de fuga que exceda determinado valor. Sua ação deve ser rápida (menos que 0,2 segundos) e deve desligar da rede de fornecimento de energia o equipamento ou instalação elétrica que protege.

• Extra baixa tensão (Selv e Pelv):

Selv: Sistema de extra baixa tensão que é eletricamente separada da terra de outros sistemas de tal modo que, a ocorrência de uma única falta, não resulta em risco de choque elétrico. Não tem qualquer ponto ou massa aterrados.

Pelv: Sistema de extra baixa tensão que não é eletricamente separada da terra, mas que preenche, de certo modo, todos os requisitos de um Selv. Podem ser ou ter massas aterrados.

• Barreiras e invólucros: São dispositivos que impedem qualquer contato com partes energizadas das instalações elétricas.

• Bloqueios e impedimentos: Impedem o acionamento ou religamento de dispositivos de manobra (ex.: chaves, interruptores).

• Obstáculos e anteparos: Impedem o contato involuntário com partes vivas, mas não o contato que pode resultar de uma ação deliberada e voluntária de ignorar os obstáculos e anteparos.

• Isolamento das partes vivas: São constituídos de materiais que não conduzem eletricidade, que isolam condutores ou outras partes da estrutura que estejam energizadas, para que os serviços possam ser realizados com efetivo controle dos riscos para o trabalhador (ex.: manta ou lençol isolante, tapete isolante, etc.).

• Isolação dupla ou reforçada: Aplicada a equipamentos portáteis (ex.: furadeiras elétricas manuais) por requererem outro sistema de proteção, que permita uma confiabilidade maior do que aquela oferecida exclusivamente pelo aterramento elétrico.

Seguindo essas técnicas de segurança em eletricidade, o profissional estará mais protegida de possíveis acidentes. Somente pessoas com treinamento adequado podem manusear equipamentos elétricos. Há ainda os EPI’s que devem ser utilizados, como:

• Capacetes não condutivos.

• Óculos de proteção.

• Botas de borracha específicas para eletricidade.

Pense nas tarefas que devem ser executadas, elabore a forma de ação e trabalhe com segurança! Use essas técnicas de segurança em eletricidade!

Como trabalhar com segurança em eletricidade?

28/09/2019 | Herbert Bento

Nesse DDS vamos aprender a trabalhar com segurança em eletricidade.

Todas as pessoas que forem trabalhar com eletricidade necessitam de um treinamento especial, pois somente pessoal autorizado pode realizar trabalhos desse tipo.

Inclusive essa é uma exigência da Norma Regulamentadora NR-10 que trata da segurança nos trabalhos com eletricidade.

Os trabalhadores são instruídos sobre práticas de segurança, bloqueios das fontes de energia, equipamentos de teste, ferramentas e EPI.

É importante saber que ao trabalhar com eletricidade, o trabalhador está exposto a riscos. Esses riscos podem provocar acidentes como, choque elétrico, explosão elétrica e queimaduras por eletricidade, que podem gerar graves lesões ou levar a morte.

Portanto, existem práticas seguras que devem ser seguidas para que não aconteçam acidentes.

• Antes de iniciar um trabalho:

o Desenergize todas as fontes de energia;

o Desconecte controle de circuitos tais como, botões de partida, chaves seletoras, intertravamento de segurança.

• Trave e etiquete todas as fontes de energia:

o Coloque trava e etiqueta em casa meio de desconexão usado para desenergizar circuitos;

o Coloque cadeados de forma a prevenir meios de operar os comandos;

o Etiquete cada cadeado.

Em casos onde o cadeado não puder ser aplicado, uma etiqueta sem trava precisa ser complementada por ao menos uma última e adicional medida de segurança, que ofereça um nível de segurança igual ao do cadeado.

• A energia residual precisa ser aliviada antes de iniciar o trabalho:

o Descarregue todos os capacitores;

o Curte-circuite e aterre todos os elementos de alta capacitância.

E como me certificar que o sistema está desenergizado?

• Certifique-se que o seu aparelho de voltímetro esteja funcionando corretamente. Cheque em uma fonte sabidamente energizada de algumas voltagens para assegurar que ele está funcionando, antes e depois de checar o circuito no qual você estará trabalhando;

• Opere os controles do equipamento para checar se o mesmo não pode ser religado;

• Use equipamentos de teste para testar o circuito e componentes elétricos quanto à voltagem e corrente.

• Para efetuar a reenergização do equipamento:

• Efetue testes e inspeções para assegurar que todas as ferramentas, jampeadores elétricos, curtos circuitos, terras e outros dispositivos tenham sido removidos;

• Avise aos outros trabalhadores para se manterem longe dos circuitos e equipamentos;

• Somente a pessoa que aplicou os cadeados e etiquetas pode removê-los;

• Cheque visualmente se todos os empregados estão longe dos circuitos e equipamentos.

Os trabalhadores que lidam com equipamentos energizados precisam estar acostumados com o uso apropriado de técnicas preventivas especiais, materiais de isolamento elétrico e físico e ferramentas isolantes.

Portanto, quando for trabalhar em circuitos energizados:

• Isole a área de todo tráfego;

• Coloque placas e barreiras;

• Use um auxiliar, se necessário;

• Use ferramentas, tapetes e mantas isolantes.

Materiais condutivos precisam ser manuseados de forma a resguardá-los de contato com elementos de circuito energizados ou parte do próprio circuito. Portanto, quando for trabalhar remova todos os artigos condutores de ornamentos e roupas, como, por exemplo: anéis, pulseiras, correntes, colares, tornozeleiras, correntes de chaveiros, braceletes, relógio, avental metalizado, etc.

O manuseio de ferramentas elétricas portáteis também exige certas especificações, para que seja manuseado de uma forma que não cause danos, nem ao trabalhador nem ao aparelho.

• Os cabos elétricos flexíveis conectados aos equipamentos não devem ser usados para levantar ou abaixar os equipamentos, assim como cabos flexíveis não podem ser fixados com grampos ou qualquer outro meio que possam vir a danificar a carcaça ou isolamento;

• Fios elétricos e plugues conectados a equipamentos e extensões devem ser inspecionados visualmente antes do uso e a cada turno em relação a defeitos perceptíveis:

o Pinos faltantes ou deformados;

o Dano da carcaça ou isolamento;

o Evidência de potencial dano interno.

• Se houver algum defeito ou evidência de dano em alguma ferramenta elétrica ou equipamento, notifique imediatamente seu supervisor. Após notificar, remova o equipamento de serviço e informe seus colegas.

• Certifique-se de que as mãos, fios e tomadas estejam secos ao plugar e desplugar, no caso de algum equipamento elétrico energizado estiver envolvido.

• Ao utilizar escadas portáteis, certifique-se que tenham montantes não condutivos e mantenha os elementos da escada no mínimo três metros longe de linhas elétricas.

Todos os instrumentos de teste, fiações e condutores precisam ser visualmente inspecionados quanto aos defeitos externos e danos, antes do equipamento ser utilizado. Todo item com defeito deve ser removido de serviço.

É importante também que todos os trabalhadores que atuam em áreas onde há potencial de acidentes elétricos, precisam usar EPI apropriado ao trabalho a ser executado.

Dicas para trabalhar com segurança em eletricidade

• Mantenha sempre seus EPI’s em condições seguras após o uso.

• Use capacetes não condutivos, onde quer que haja um risco de ferimento da cabeça por choque elétrico ou queimaduras, devido ao contato com partes energizadas.

• Use proteção para os olhos e face, onde haja risco de ferimento dos mesmos, devido a arcos elétricos, fagulhas ou partículas volantes resultantes de explosão elétrica.

• Não use seu EPI quando houver: buracos, rasgos, bolhas, manchas por ação de químicos, furo ou corte, rachaduras, sinais de queimaduras, afinamento das superfícies, trincas ou descosturas, qualquer mudança de textura, com objeto estranho dentro e qualquer defeito ou dano que possa danificar suas propriedades isolantes.

• Todo EPI tem um prazo de validade, e se o seu não estiver mais atendendo aos requisitos necessários, informe ao supervisor para que a troca seja efetuada. EPI que não protege, de nada serve!

O trabalhador precisa ser capaz de visualizar o que está fazendo enquanto trabalha com equipamento energizado. Portanto, não trabalha com equipamentos energizados quando:

• Não houver iluminação adequada.

• Houver uma obstrução que prejudique a visão da sua área de trabalho, pois você pode alcançar cegamente áreas que podem conter partes energizadas.

Informações adicionais para trabalhar com segurança em eletricidade:

• Se for trabalhar em ambiente molhado, certifique-se de estar utilizando equipamentos elétricos adequados.

• Somente trabalhadores qualificados podem desativar com segurança o sistema elétrico, e só temporariamente. Enquanto o trabalhador estiver trabalhando no equipamento, o sistema deverá estar desligado. Só voltará a condição operável quando o trabalho estiver terminado.

• Proteção de sobrecarga de circuitos e condutores não pode ser modificada, até mesmo em uma base temporária.

Antes de começar a trabalhar, conheça os perigos da eletricidade! Conheça o equipamento que for utilizar, utilize as práticas de segurança e não trabalhe com circuitos energizados sem permissão!

Use o que você aprendeu nesse DDS para trabalhar com segurança em eletricidade.

Para aprender mais

Documentos de segurança do trabalho obrigatórios

Baixar normas regulamentadoras atualizadas

Dicas para trabalhar com segurança em serviços elétricos

12/08/2013 | Herbert Bento

A eletricidade é mais que fundamental em nossas vidas. No dia-a-dia, quase tudo que se faz depende da energia elétrica. Porém, manuseada de forma incorreta, pode se tornar muito perigosa. As estatísticas mostram que a maioria dos acidentes que envolvem a rede elétrica e o público, a vítima morre.

Confira outro artigo sobre esse mesmo tema: Eletricidade: técnicas de segurança

Preocupada com isso, as empresas vem adotando ações que buscam informar e conscientizar os profissionais quanto aos riscos que a eletricidade oferece e divulgar a necessidade de se assumir um comportamento seguro no convívio com a mesma. Através destas ações estes profissionais precisam estar preparados para identificar os riscos em serviços elétricos.

COMO EVITAR ACIDENTES COM ELETRICIDADE

A energia elétrica proporciona muitos benefícios, mas sempre é necessário muito cuidado ao lidar com ela. O controle dos riscos de acidentes nos locais de trabalho exige que os procedimentos e recomendações de segurança sejam cumpridos.

Leia com bastante atenção algumas dicas para trabalhar com segurança em serviços elétricos que ajudam a prevenir acidentes no trabalho:

1. Instalações elétricas só podem ser feitas e mantidas por trabalhador habilitado e qualificado com a supervisão de profissional legalmente habilitado.

2. Mantenha a área de trabalho limpa. Áreas e bancadas cheias de entulhos são um convite aos acidentes.

3. Procure sempre ler os manuais das ferramentas elétricas portáteis e as recomendações de segurança indicadas pelo fabricante.

4. Aterre todas as ferramentas que não possuam duplo isolamento. Se a ferramenta foi equipada com um plug de três pinos, encaixe-o numa tomada de três entradas. Se estiver usando um adaptador para tomadas de duas entradas, fixe o fio adaptador num fio terra conhecido. Nunca remova o terceiro pino.

5. Evite ambientes perigosos. Não use ferramentas elétricas em locais úmidos ou molhados e mantenha as áreas bem iluminadas. Quando necessário, adote plataformas isolantes, como tapetes de borracha e verifique se o cabo está em perfeitas condições de uso, além de aterradas.

6. Nunca utilize bijuterias, jóias, roupas folgadas ou luvas que possam atrapalhar a operação. Elas podem agarrar-se em peças móveis. Use o vestuário apropriado. Use calçado e luvas de borracha quando se trabalha em áreas abertas.

7. Segure as ferramentas com firmeza, pois há possibilidade destas ferramentas escaparem de suas mãos, por trabalharem em alta rotação.

8. Não force a ferramenta. Ela fará melhor o trabalho e de maneira mais segura, se for usada sob as condições para as quais foi projetada.

9. Ao realizar algum tipo de substituição de componente da ferramenta (broca, rebolo, etc.) retire o “plug” da tomada de energia.

10. Faça uso de todos os EPI’s recomendado pelos profissionais de segurança.

11. Sinalize e isole a área de trabalho de forma adequada.

12. Portas de painéis elétricos devem permanecer

fechadas e travadas. Quando visualizar qualquer porta de painel elétrico aberto e/ou destravado solicite o fechamento e/ou travamento do mesmo.

13. Os painéis elétricos não devem ser obstruídos por qualquer tipo de material ou equipamento (racks, caixas, veículos industriais, carrinhos de manutenção, etc.)

14. Os armários dos painéis elétricos não podem ser utilizados para guardar qualquer tipo de material.

15. Só podem realizar intervenções nos painéis elétricos, empregados e contratados habilitados, treinados e com o EPI específico aos riscos da NR10.

16. Ao realizar intervenções em painéis elétricos sinalize e utilize cadeados de segurança e cartão perigo.

17. Os quadros gerais devem ser mantidos trancados, com seus circuitos identificados por escrito.

18. Não separe as pernas do cabo elétrico. Se, acidentalmente, cortar o cabo ou danificar o isolamento de qualquer maneira, não tente repará-lo por sua conta. Entregue-a para substituição e/ou reparos imediatos.

19. Não abuse do cabo. Nunca carregue uma ferramenta segurando pelo cabo elétrico, ou desligue da tomada puxando por ele. Mantenha o cabo afastado de fontes de calor, óleo ou bordas cortantes.

20. Conheça a sua ferramenta elétrica. Aprenda suas aplicações e limitações, assim como os riscos em potencial associados à sua operação.

LEMBRE-SE: A eletricidade não tem cheiro, não tem cor, por isso pode nos enganar.

Para aprender mais sobre os riscos em diversos serviços e como evitá-los visite o site do DDS Online e se inscreva no curso Online Segurança do Trabalho de A a Z.

Clique aqui para ver outros artigos sobre Segurança em serviços elétricos: Categoria Elétrica

Fundado em novembro de 2008, o DDS Online contribui para a área de Segurança e Saúde Ocupacional através da divulgação de temas para DDS e cursos online.

Nos siga

© 2022 Escola da Prevenção - Herbert B Faria Treinamentos CNPJ 18.768.540/0001-85 Todos os direitos reservados.